Dor, Desapegar, Desamor

Eu sou burra por acreditar que só o amor basta?
Que duas pessoas quando se amam, mais se amam de verdade, superam tudo juntas?
Eu não quero ter que me desapegar de um sentimento que foi difícil de ser sentido de novo.
Eu não quero desistir da melhor parte do meu dia.
Do melhor beijo que eu já provei em toda a minha vida.
Do melhor carinho.
Do melhor abraço antes de pegar no sono.
Eu não quero deixar os problemas serem maiores que a minha vontade de ficar com a pessoa que eu amo.
Eu o vi se afastando, a cada dia que passava, o via mais ausente.
E eu só pensava "ele precisa de tempo".
Eu fui tola por não perceber que esse era o seu modo de dizer "Hey, acho que já deu tudo o que tinha que dar".
E foi só eu dar uma brecha, para que isso acontecesse.
Entre a busca pela felicidade e a desistência, ele escolheu o mais fácil.
Eu não consegui ver motivos nas desculpas dele, mas...
A quem estou querendo enganar?
Ele simplesmente não me quer mais.
Todas as juras de amor, as promessas.
Foram quebradas ali, no momento em que ele disse "Acho melhor a gente parar por aqui.."
De repente eu estou aqui sem chão.
Tentando arranjar forças para seguir em frente. Tudo em vão.
Eu só consigo ter forças para lutar por ele, por nós.
E o pior é que eu já sei que vou sofrer mais e mais por isso.
Não tem volta, uma vez chegado a uma decisão, não há nada que eu possa fazer pra voltar atrás.
Nada, nem ninguém, nem um sentimento pode mudar algo que já devia estar decidido há tempos.
Se ainda existe amor, porque desistir dele?
Se amor fosse algo que a gente encontra em qualquer esquina, eu nem lutaria por ele.
Mas não é.
Eu não quero ser forçada a esquecer esse sentimento.
E não quero nem chegar a pensar que você não o sente mais por mim.
Mas se você ainda sente, não desista de mim achando que eu mereço alguém melhor e que me faça feliz.
Deixa eu decidir quem eu quero que me faça feliz.
E se você me perguntar quem eu quero.
A resposta vai ser sempre você.

8 comentários :

Ariane Miranda disse...

Me identifiquei!

Não somos burras, somos romanticas!

Helena de Aguiar disse...

Eu não acho que amar é burrice ,amor,significa,sofrimento,tristezas,alegrias,ciúmes,quem não ama não sofre,acreditar em uma felicidade completa??Isso sim é burrice...

Yandra Domingues Barboza disse...

Acho que você tem razão Helena.
Quando a gente ama, vem tudo no pacote.
A gente entende e sabe a teoria, difícil é colocar na prática.

Helena de Aguiar disse...

A felicidade nada mais é do que boa saúde e memória fraca,o amor deixa a gente completamente cega,faz a gente cometer loucuras,eu acredito no seu amor,e sei o que é sofrer por amor,experiência própria....

Yandra Domingues Barboza disse...

Que bom que você acredita nele, eu também acredito.
Sofrer dói pra caramba, mas faz parte né?

Helena de Aguiar disse...

E ao longo dos anos eu fui colecionando magoas, e convivendo com elas como se elas fizessem parte de mim e agora elas estão me comendo vivo, e estão causando machucados que surgem sob minha pele, e emagrecem meu corpo e elas vão me tirando todo o prazer da vida, e elas se perdem em meus olhos quando eu tento ver um novo amanha e é como se o meu mundo se chocasse com o mundo de cada um que vive perto de mim.

E durante esse tempo todo eu alimentei uma vazio, que fez buracos em mim, por dentro e por fora e eles me afastaram de qualquer alegria que eu pudesse sentir. E nem sol brilhando forte muda a paisagem árida e cinza dentro de mim e toda a força que uma pessoa possa ter é tirada a cada pensamento de mudar essa situação que eu possa planejar.

E foi passando os anos e essa tristeza que se alojou passou a conhecer tudo de mim, e foi atacando os meus pontos fortes e expondo os fracos, ela foi minando o melhor de mim e foi me incapacitando até mesmo de sorrir e a cada tentativa minha de sobreviver a ela, eu perdia mais um pouco.

E relembro as decepções como se elas estivessem vivas dentro de mim, como se elas controlassem minha ações e eu fraco não conseguia esquecê-las e eu sentia como se elas substituíssem o amor que eu sempre tive em mim. E a vontade de novas tentativas era subjugada pela certeza de que nada mais daria certo, e assim, eu passei a viver, preso em mim e com medo de mim, reagindo com o trancar das portas que tentam ser abertas, por qualquer pessoa ou qualquer coisa.

E é preciso resgatar essa idéia de família, essa idéia de amigos porque ninguém é forte sozinho, ninguém é vencedor sem ajuda, sem apoio.

‘E eu aprendi que as magoas podem alimentar outros sentimentos ruins e destrutivos’

Yandra Domingues Barboza disse...

Me identifiquei um pouco com o texto.
E é verdade a gente precisa da família e amigos para ser feliz.
E com certeza faz todo o sentido a última frase.

Helena de Aguiar disse...

Eu me identifico muito c/ este texto...


Como é bom ter um abraço guardado e entregá-lo todos os dias! Como é bom ser educada e não ferir ninguém, como é bom saber agradecer e distribuir gentilezas. Descobrir no simples, a perfeição divina, ser grande, sendo o menor de todos, ser a primeira, senda o última da fila, ser uma boa mãe, por ter sido um boa filha, ser exemplo de algo bom, motivo de orgulho de alguém, ser o reflexo da alegria, ponto de referência de Deus, onde Ele pode mostrar a sua obra sem palavras. Descobrir na alegria de ser o que somos: como é bom ser importante na vida de alguém!. Bjus....

Amor, Tombos e Outras Coisas... Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados